Regulamentos

Здесь новыешаблоны dle
креативные Joomla шаблоны.

REGULAMENTO PARA ESCOLHA DO PARANINFO GERAL

Artigo 1 - O PARANINFO GERAL da Colação de Grau Conjunta será escolhido através de uma comissão julgadora constituída pelos representantes indicados por cada curso.

Artigo 2 - Os representantes de cada curso deverão fazer uma apresentação do nome escolhido, justificando esta escolha.

Artigo 3 - O PARANINFO GERAL dos formandos será escolhido, entre os nomes apresentados, por escrutínio secreto, onde surgirão três nomes mais votados.

Parágrafo Único: Em caso de empate na terceira colocação, surgindo daí mais de três colocados, estes serão submetidos a novo escrutínio, até que se obtenha somente três colocados.

Artigo 4 - Os três nomes mais votados serão submetidos a novo escrutínio, resultando eleito, o que obtiver o maior número de votos.

Parágrafo Único: Em caso de empate, serão os nomes, que obtiveram o mesmo número de votos, submetidos a novo escrutínio. Persistindo o empate, será considerado como Paraninfo Geral aquele que obteve o maior número de votos na primeira etapa.

Artigo 5 - Os casos omissos a este Regulamento deverão ser encaminhados e resolvidos pelo Magnífico Reitor.

REGULAMENTO DE CONCURSO PARA JURAMENTISTA

Artigo 1 - O JURAMENTISTA da Colação de Grau Conjunta será escolhido através de uma Comissão Julgadora, constituída pelo presidente e dois mestres de cerimônias da Comissão Permanente de Formatura e pelos representantes indicados de cada curso, sendo que cada curso terá direito a um voto.

Parágrafo Único: Em caso de ausência de 1 (um ) ou dos 2 (dois) mestres de cerimônias, o Presidente constituirá a Comissão Julgadora com os membros mais antigos da Comissão Permanente de Formatura.

Artigo 2 - Poderão se candidatar a JURAMENTISTA, até três dias da data da realização do concurso, 1 (um) formando por curso, exceto os representantes de cada curso e seus suplentes, que comporão a Comissão Julgadora.

Parágrafo Único: O candidato a JURAMENTISTA não poderá estar inscrito para o Concurso de Orador Geral, devendo ser anulada a sua inscrição.

Artigo 3 - O concurso será realizado em duas etapas.

Artigo 4 - Na primeira etapa serão classificados apenas os três candidatos que obtiverem o maior número de pontos, atribuídos pelos membros da Comissão Julgadora.

Parágrafo Único: Em caso de empate na terceira colocação, surgindo daí mais de três colocados, estes serão submetidos a novo escrutínio, até que se obtenha somente três colocados.

Artigo 5 - Serão submetidos à segunda etapa apenas os três candidatos classificados no artigo antecedente.

Parágrafo Único: a segunda etapa do concurso será realizada no mesmo dia, logo após o término da primeira etapa.

Artigo 6 - Será considerado finalista e, de conseqüência, o JURAMENTISTA dos formandos, o candidato que obtiver o maior número de votos ou pontos.

Parágrafo Único: Em caso de empate será procedida nova avaliação pela Comissão Julgadora. Persistindo o empate será considerado vencedor, aquele que entre os dois, obteve o maior número de votos ou pontos na primeira etapa.

Artigo 7 - Os candidatos serão chamados à leitura do juramento por ordem numérica, um a um, e serão identificados através de um crachá a ser sorteado pela Comissão Permanente de Formatura.

Parágrafo Único: Os candidatos serão colocados em sala separada, de tal modo que, um não verá a apresentação do outro, antes de ser apresentado.

Artigo 8 - O concurso será realizado no auditório de reuniões dos Conselhos Superiores.

Artigo 9 - No plenário serão permitidos apenas os membros da Comissão Julgadora, a Comissão Permanente de Formatura e o candidato sorteado.

Artigo 10 - O público interessado poderá assistir aos trabalhos em espaço previamente reservado para esse fim.

Artigo 11 - Os trabalhos serão dirigidos pela Comissão Permanente de Formatura, através de seu presidente, a quem incumbirá zelar pela ordem de decidir os casos que lhe forem apresentados durante o concurso, podendo inclusive, se necessário for, solicitar intervenção de terceiros para manter a ordem.

Artigo 12 - A cada candidato será atribuído um dos seguintes conceitos para efeito de nota:
REGULAR – 1
BOM - 2
ÓTIMO - 3

Parágrafo Único: Será totalmente anulada a ficha de avaliação que contiver rasuras ou conceitos diferentes dos constantes do caput deste artigo.

Artigo 13 - Os membros da Comissão Julgadora, para atribuírem conceitos e notas deverão observar o seguinte:

I – DICÇÃO - Arte de dizer. Pronúncia clara e correta das palavras.
II – FLUÊNCIA - Fluidez. Linguagem natural, fácil e espontânea.
III – POSTURA - Posição do corpo, atitude.
IV – TIMBRE - Pronúncia de sons com altura e intensidade harmônicas. Voz agradável aos ouvidos.

Artigo 14 - O juramento será fornecido pela Comissão Permanente de Formatura, até dois dias da data da realização do concurso.

Artigo 15 - Os casos omissos a este Regulamento deverão ser encaminhados e resolvidos pelo Magnífico Reitor.

REGULAMENTO DE CONCURSO PARA ORADOR

Artigo 1 - O ORADOR GERAL da Colação de Grau Conjunta será escolhido através de uma Comissão Julgadora, constituída pelo presidente e dois mestres de cerimônias da Comissão Permanente de Formatura e pelos representantes indicados de cada curso, sendo que cada curso terá direito a um voto.

Parágrafo Único: Em caso de ausência de 1 (um) ou dos 2 (dois) mestres de cerimônias, o Presidente constituirá a Comissão Julgadora com os membros mais antigos da Comissão Permanente de Formatura.

Artigo 2 - Poderão se candidatar a ORADOR GERAL, até três dias da data da realização do concurso, 1 (um) formando por curso, exceto os candidatos a JURAMENTISTA, os representantes de cada curso e seus suplentes, que farão parte da Comissão Julgadora.

Artigo 3 - O concurso será realizado em duas etapas.

Artigo 4 - A primeira etapa compreende a leitura de um texto fornecido pela Comissão Permanente de Formatura, com um mínimo de 30 (trinta) e um máximo de 50 (cinqüenta) linhas digitadas em espaço duplo, letra tamanho 14, que deverá ser lido num prazo máximo de 12 (doze) minutos, sob pena de imediata desclassificação do candidato.

Artigo 5 - Na primeira etapa serão classificados apenas os três candidatos que obtiverem o maior número de pontos, atribuídos pelos membros da Comissão Julgadora.

Parágrafo Único: Em caso de empate na terceira colocação, surgindo daí mais de três colocados, estes serão submetidos a novo escrutínio, com novo texto, até que se obtenha somente três colocados.

Artigo 6 - Serão submetidos a segunda etapa apenas os três candidatos classificados no artigo antecedente.

Parágrafo Único: a segunda etapa do concurso será realizada em data a ser fixada pela Comissão Permanente de Formatura, não podendo esta exceder a 07 (sete) dias, contados da realização da primeira etapa.

Artigo 7 - Na segunda etapa os candidatos deverão apresentar um texto da sua autoria, que deverá ser exposto em um prazo máximo de 10 (dez) minutos.

Parágrafo Único: O citado texto não será objeto de prévia análise pela Comissão Permanente de Formatura, ficando o autor responsável pelos seus termos.

Artigo 8 - Será considerado finalista e, de conseqüência, o ORADOR da turma, o candidato que obtiver o maior número de votos ou pontos.

Parágrafo Único: Em caso de empate será procedida nova avaliação pela Comissão Julgadora. Persistindo o empate será considerado vencedor, aquele que entre os dois, obteve o maior número de votos ou pontos na primeira etapa.

Artigo 9 - Os candidatos serão chamados à leitura do texto por ordem numérica, um a um, e serão identificados através de um crachá a ser sorteado pela Comissão Permanente de Formatura.

Parágrafo Único: Os candidatos serão colocados em sala separada, de tal modo que, um não verá a apresentação do outro, antes de ser apresentado.

Artigo 10 - O concurso será realizado no auditório de reuniões dos Conselhos Superiores.

Artigo 11 - No plenário serão permitidos apenas os membros da Comissão Julgadora, a Comissão Permanente de Formatura e o candidato sorteado.

Artigo 12 - O público interessado poderá assistir aos trabalhos em espaço previamente reservado para esse fim.

Artigo 13 - Os trabalhos serão dirigidos pela Comissão Permanente de Formatura, através de seu presidente, a quem incumbirá zelar pela ordem de decidir os casos que lhe forem apresentados durante o concurso, podendo inclusive, se necessário for, solicitar intervenção de terceiros para manter a ordem.

Artigo 14 - A cada candidato será atribuído um dos seguintes conceitos para efeito de nota:
REGULAR – 1
BOM - 2
ÓTIMO - 3

Parágrafo Único: Será totalmente anulada a ficha de avaliação que contiver rasuras ou conceitos diferentes dos constantes do caput deste artigo.

Artigo 15 - Os membros da Comissão Julgadora, para atribuírem conceitos e notas deverão observar o seguinte:

I – DICÇÃO - Arte de dizer. Pronúncia clara e correta das palavras.
II – FLUÊNCIA - Fluidez. Linguagem natural, fácil e espontânea.
III – POSTURA - Posição do corpo, atitude.
IV – TIMBRE - Pronúncia de sons com altura e intensidade harmônicas. Voz agradável aos ouvidos.
V – CRIATIVIDADE – Enfoque original do tema; interpretação, imaginação e redação própria.

Parágrafo Único: O inciso V – CRIATIVIDADE, será objeto de análise somente na segunda etapa.

Artigo 16 - Os casos omissos a este Regulamento deverão ser encaminhados e resolvidos pelo Magnífico Reitor.